julho 20, 2016

TU QUERES VER



A imagem do nosso abismo desce sobre nós
sempre que as sombras pairam nos nossos olhos;
sombras que dissiparam as chamas
que costumávamos consumir com os nossos corpos.

Os corpos carbonizados não alimentam os sonhos,
porque não passam de sonhos,
e o Verão já não é a mais bela canção.

Mas a terra que martela as cinzas da nossa sobrevivência
mantém-se longe de todos os medos que sopram ao nosso ouvido.

Senhoras e senhores,
chegou o fogo-pai.
Devora os temores
e daqui já não sai.

Ele quer que lhe devolvam os gemidos cósmicos,
os sorrisos atónitos
e os gritos que se aprofundam nos becos do inconsciente.

Enquanto permanecer na vontade, convidar-nos-á para suspirarmos o ar que respiramos
e envolvermo-nos com a batida da terra.


Sem comentários:

Enviar um comentário